Tags

, , , , , , , , , , , ,

E para não dizer que não falei de essepê, resolvi reativar o blog com um post sobre uma das coisas que eu adoro fazer: passear pelo centro de São Paulo.

Foram mais de dois anos sem passar por aqui. Mas, depois de ouvir de algumas pessoas que eu deveria escrever novamente no blog, e também da falta que isso me faz, resolvi voltar!

Quem me conhece sabe o quanto eu sou apaixonada pelo centro de São Paulo. Mesmo com todos os problemas da região, e a cracolândia é apenas um deles, eu adoro caminhar pelas ruas históricas da região central e apreciar os prédios.

Banespinha

A última vez que passeei por lá estava na companhia da minha amiga “gringa” Megan. Começamos o nosso tour pelo Anhangabaú, onde ela morava, em direção ao Mosteiro de São Bento. Foi a minha primeira vez dentro do Mosteiro e assistindo a uma apresentação de canto gregoriano. Que experiência!

Mosteiro

O encantamento começou já do lado de fora e se espalhou lá dentro do lugar sagrado. A arquitetura é deslumbrante. O teto é um show à parte! Mas o que torna o Mosteiro de São Bento tão especial é, sem dúvida, o concerto gregoriano. Ouvir os monges cantarem ao som do órgão é como se sentir parte da cena de um filme. Se você ainda não fez este passeio, faça!

A tradicional Missa dos Monges acontece todos os domingos, às 10h. E no último domingo do mês acontece um brunch, quando o Mosteiro abre as portas do refeitório, com as iguarias de sua padaria e a gastronomia de grandes Chefs de São Paulo. Este passeio já está na minha lista. 😊

Pateo

Encerrada a missa, demos um pulinho no Pateo do Colégio para um café. Lá tem o Museu José de Anchieta, mas acabamos não entrando, porque queríamos só tomar um cafezinho mesmo. E que delícia de café. Vale a pausa!

Solar

Nossa próxima parada foi no Solar da Marquesa de Santos, um casarão antigo e cheio de história. Construído no século XVIII, o imóvel já foi conhecido como Palacete do Carmo, uma das residências mais aristocráticas de São Paulo e que recebia dezenas de festas. Além de fazer uma viagem no tempo e de imaginar como o lugar deve ter sido majestoso, é possível conferir algumas exposições. Eu tinha uma vontade imensa de conhecer o Solar e a visita foi, de fato, uma delícia.

Beco

De lá passamos na Caixa Cultural, onde vimos algumas exposições bem interessantes, e caminhamos pela Praça da Sé, Viaduto do Chá, Teatro Municipal, encerrando o passeio no tradicional Bar Brahma, entre as famosas avenidas Ipiranga e São João – imortalizadas na música de Caetano Veloso. Nada mais paulistano do que terminar nosso tour ali.

Você pode estar se perguntando como eu tive coragem de me aventurar por uma região considerada degradada e perigosa. E eu te respondo que tive e sempre terei. Tomo algumas precauções, como não ficar dando bobeira com bolsa ou celular, estou sempre atenta à movimentação e sei onde posso e não posso ir. E digo mais:  o centro de SP é tão bonito quanto o de outros países. Poderia ser mais seguro? Sim! Poderia estar mais bem cuidado? Sim! Mas não é por isso que eu vou deixar de curtir minha cidade e descobrir novos lugares.

Megan

Fico muito feliz de ter me tornado amiga da Megan, a gringa mais brasileira que já conheci e que se tornou parceira das minhas andanças e brasilidades. Espero que você também encontre a sua “Megan”, saia de casa e vá descobrir e redescobrir a sua cidade.

Semana que vem tem mais post! Espero você!

Anúncios